NOVIDADES 17 de Novembro, 2017
Compartilhe:

Arrozeiros projetam mais de US$ 8 milhões na Arábia Saudita

 

O setor orizícola brasileiro voltou satisfeito de Jeddah, na Arábia Saudita.

 

Quatro indústrias brasileiras participaram da feira Foodex Saudi, de 12 a 15 de novembro, em estande coletivo do projeto Brazilian Rice - uma iniciativa da Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para o incentivo às vendas de arroz do Brasil no mercado internacional: Arrozeira Pelotas, Camil Alimentos, Josapar e Nelson Wendt.

 

Esta foi a primeira participação brasileira no evento e já com números bastante positivos. As empresas realizaram negócios in loco na ordem de US$ 680.000,00, com expectativa para os próximos 12 meses de um total de US$ 8.360.000,00.

 

Os participantes tupiniquins comemoraram os resultados e a projeção do setor no mercado árabe. Lucas Silva, executivo de Exportação da Arrozeira Pelotas, classificou o evento como excelente, bem organizado e com boas oportunidades de contato para ingresso do arroz brasileiro no mercado saudita. “A participação na feira foi muito importante para o público árabe conhecer melhor o produto brasileiro. A partir de agora, o arroz do Brasil terá ainda mais participação na Arábia Saudita e voltaremos no próximo ano consolidados no mercado”, comemora.

 

O Grupo Camil Alimentos, que já está presente na Arábia Saudita através de alguns restaurantes, tem este mercado como um dos prioritários para desenvolvimento e ampliação nos próximos anos. “Enxergamos a participação na Foodex como parte importante desse processo”, salienta Wanessa Augusto, gerente de exportação da empresa.

 

A participação verde-amarela contou também com uma ação especial de cocção e degustação de arroz, mostrando os diferenciais de cocção e sabor do arroz brasileiro.

 

Sobre a Foodex Saudi: A Foodex Saudi é uma feira focada em alimentação que reuniu, nesta edição de 2017, 32 países, 214 expositores e 520 marcas. A Arábia Saudita é um dos mercados-alvo do projeto Brazilian Rice e está entre os dez principais compradores de arroz do Brasil. É um país com potencial de compra de 10 mil toneladas por ano do cereal brasileiro. Além disso, o país é o maior mercado de alimentos do Oriente Médio. Prevê-se, segundo a organização do evento, que as importações de alimentos e bebidas aumentem até US$ 34 bilhões em 2020 contra os atuais US$ 21 bilhões.

 

Sobre o Brazilian Rice: o projeto tem como objetivo aumentar e consolidar as exportações brasileiras de arroz beneficiado, tornando o Brasil um player reconhecido no comércio internacional pela sua qualidade e capacidade produtiva. É realizado pela Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), contando com uma série de ações com foco comercial e de aprimoramento da imagem do produto brasileiro em mercados estratégicos. Informações: www.brazilianrice.com.br.

Fonte: Brazilianrice